Vou de Kombi leva a Iniciativa Verde para dar a volta ao mundo

3 Jul

kombi

Olhe só! A Iniciativa Verde apareceu no programa AutoEsporte, da TV Globo, no último domingo (16) porque compensou as emissões de gases de efeito estufa (GEE) do projeto Vou de Kombi. Nele, um casal dará a volta ao mundo sobre as quatro rodas. O primeiro percurso, de São Paulo até Cartagena (Colômbia), foi compensado com o reflorestamento de 32 árvores. Veja a matéria na íntegra e boa viagem!

By Iniciativa Verde

Animações sobre nosso planeta

15 Fev

Hoje escrevemos para compartilhar duas animações bastante relacionadas com o tema do nosso blog: Revolution (Life Cycle of a Drop of Water) e Humans.

A primeira, como o próprio nome já diz, mostra de um jeito bem bonito o ciclo de um pingo d’água. A segunda mostra o lado impiedoso da relação do ser humano com a natureza. Cada uma a seu jeito, ambas nos fazem pensar sobre as atitudes que tomamos em nosso planeta. Vamos assistir?

Revolution (Life Cycle of a Drop of Water)

Humans

Será que todo lixo é lixo mesmo?

8 Fev

Pois é, nem sempre gostaríamos de jogar fora algo. Quantas vezes você não pensou: poxa, alguém poderia usar isso. Mas devido a vários motivos, temos mesmo que nos desfazer de coisas. Isso acaba gerando mais e mais lixo nas nossas cidades…

E foi aí que entrou em cena a ideia brilhante da dupla Maarten Heijltjes & Simon Akkaya, também conhecidos como Waarmakers: a Goedzak. O nome é esquisito, mas a proposta é excelente! Ela é uma sacola especial para você colocar na rua coisas que você não quer mais, mas que pode ser utilizada por outra pessoa. Se um objeto estiver dentro dessa sacola, significa que ele ainda pode ser usado. Ele pode ser um lixo para você, mas não pra outra pessoa. Isso é demais, pois dá vida longa às coisas e diminui a montanha de lixo gerada diariamente (algo que partilha a ideia do projeto Cradle to Cradle – Do Berço ao Berço – já discutido aqui no blog).

A Goedzak faz parte de um grande projeto chamado “Design for Altruism” (Design altruísta, em tradução livre). Uma série de ações pensadas para desencadear um comportamento altruísta nas pessoas. Esperamos que a moda pegue e chegue ao Brasil!

Transporte Individual: Contra-Mão, Beco sem Saída, Fim da Linha!

21 Jan

Inauguramos o ano de 2013 aqui no blog reproduzindo um texto muito interessante do site O que Você Faria se Soubesse o que Eu Sei, escrito por Alexandre Costa. Nele, o autor retrata o cenário calamitoso do transporte nas grandes cidades e aponta alguns caminhos para conseguirmos nos livrar dessa prisão de forma sustentável não só para o planeta, mas para nós mesmos.

Para ler o texto na íntegra, basta acessar este endereço.

Abaixo, alguns trechos:

(…) A queima de óleo diesel ainda é a principal fonte de emissão de transportes no Brasil, mas mesmo a euforia em substituir a gasolina pelo etanol  mostrou-se de curtíssimo alcance. A princípio, é óbvio que o etanol e os demais agrocombustíveis são menos danosos ao clima, pois o carbono é reciclado. Quando a cana-de-açúcar ou plantas oleaginosas crescem, sequestram CO2 que é produzido nos motores a combustão. No entanto, o próprio transporte desse combustível (feito usualmente em veículos a diesel) e o desmatamento, comumente associado à expansão da fronteira agrícola, já mostram que eles não são nenhuma panaceia. Além disso, sabe-se muito bem quão brutal é a exploração da força de trabalho nos canaviais e usinas e que impactos ambientais envolvendo os efluentes das usinas bem como o uso de fertilizantes, herbicidas e pesticidas são bastante significativos, deixando os agrocombustíveis com um grande custo sócio-ambiental. Mesmo com sérios comprometimentos à segurança alimentar e com agressões ainda maiores às florestas, portanto, sabe-se que seria impossível sustentar uma frota de automóveis com crescimento acelerado com base neles.

(…) O transporte coletivo precisa ser privilegiado em detrimento do transporte individual. Cidades congestionadas são uma manifestação de total ineficiência (gasta-se mais energia, seja via queima de combustíveis fósseis ou não) para se locomover cada vez menos no mesmo intervalo de tempo. Mas a saída do “conforto” do transporte individual só se mostrará atraente mediante uma alternativa concreta de locomoção. Programas de tarifação zero e de melhoria da qualidade do transporte público, em conjunção com restrições ao uso do transporte individual são a mistura adequada de doce e amargo para garantir a virada necessária para impedir a crescente inviabilização dos assentamentos urbanos.

 

300 anos de combustíveis fósseis em 300 segundos

6 Dez

É sobre isso que trata o vídeo abaixo: como nossa vida na Terra evoluiu até chegarmos no ponto em que estamos hoje. O cenário não é dos mais aprazíveis, mas existem soluções para o futuro; basta nos mobilizarmos e mudarmos o rumo do nosso progresso [destrutivo] como espécie. O vídeo, criado pelo Post Carbon Institute, sugere que teremos que lidar com 4 grandes questões:

1. Aprender a viver sem combustíveis fósseis.

2. Nos adaptarmos ao colapso do crescimento econômico como conhecemos.

3. Dar suporte à população de 7 bilhões de pessoas e estabilizar esse número em um nível sustentável.

4. Lidar com o nosso legado de destruição ambiental.

Claro, nada disso é fácil de ser alcançado. Estamos diante de um paradigma da consciência, onde só a mudança do pensamento fará alguma diferença. O caminho é longo, mas vale a pena ser trilhado para um futuro melhor.

Assista ao vídeo [com legendas em inglês] abaixo:

 

Telhado de garrafas plásticas pode ser solução para desabrigados

9 Nov

Texto publicado no site Ecodesenvolvimento, reproduzido integralmente abaixo.

Telhado de garrafas plásticas pode ser solução para desabrigados

Um novo conceito de telhado para mostrar ao mundo as melhores formas de projetar os bens de consumo reutilizáveis. Esse é o SodaBIB, um protótipo que pretende transformar garrafas plásticas de água em um telhado que qualquer um pode construir.

Projetado para climas tropicais, onde é capaz de proteger o ambiente de chuvas torrenciais e deixar escapar o ar quente, o telhado ainda está em fase inicial, em forma de maquete, e a sua construção será liderada por dois arquitetos licenciados do New York Institute of Technology.

Para o criador Jason Van Nest, o projeto ajuda a resolver dois problemas: o da necessidade de abrigos para milhões de pessoas no mundo e o da grande quantidade de garrafas descartadas. “Para melhor ou pior, garrafas de água estão presentes em todo o mundo, elas são usadas uma vez, e logo descartadas. Em países em desenvolvimento, podemos ajudar as pessoas a construir abrigos com estes materiais”, afirmou Nest na página Kickstarter.

Montar o telhado é prático e não exige ferramentas, segundo o criador até uma criança pode armar. O segredo está nos pallets que as empresas usam para transportar garrafas de bebidas. Nest projetou um pallet que as pessoas podem desmontar e usar como uma cobertura subestrutural. Depois é só colocar as garrafas apertando a tampa – tudo sem pregos, parafusos ou cola.

Assista aqui ao vídeo em inglês da apresentação do projeto.

Mais pensamentos de Fritjof Capra

5 Nov

O pensamento do físico, educador, escritor e filósofo Fritjof Capra a respeito de sua visão sistêmica de mundo já foi compartilhado algumas vezes no blog (aqui e aqui) e mais uma vez voltamos a ele. Nessa entrevista, ele fala um pouco mais sobre sua percepção de um mundo ecologicamente responsável e o que ele anda fazendo para espalhar essa ideia.

Uma das ações é o centro de Eco Alfabetização, com base na Califórnia e ramificações ao redor do mundo; inclusive no Brasil – por meio do Instituto ECOAR. Esta instituição se dedica à Eco Alfabetização: capacitação de educadores para que eles possam transmitir conceitos de ecologia nas instituições de ensino e contextos educacionais em que atuam.

Este vídeo mostra uma entrevista dele para um programa da TV Cultura, onde ele fala, entre outras coisas, sobre as diferenças entre a Ecologia rasa X Ecologia profunda, e finaliza com um pensamento bem interessante de Antonio Gramsci: “Precisamos do pessimismo do intelecto e do otimismo da vontade.”

%d bloggers like this: